“Existe uma lei. A qualidade do que você compreende, depende da qualidade da pessoa falando.”

(Citado em “Encontros com Homens Notáveis”)

Antes de tudo, quero comunicar os leitores do Inconsciente Coletivo de que as traduções dos vídeos do Osho foram retomadas. A diferença agora é que os vídeos serão exclusividade aqui do blog e também farão parte da Videoteca InconscienteColetivo, um portal de vídeos voltado à espiritualidade e crescimento pessoal (e profissional, porque não?) que lanço hoje, nesse post e no próximo, dedicado somente a essa novidade! 🙂

>>>>http://www.videotecavirtual.com.br<<<<

+++

A citação que introduz o post é uma das frases mais profundas a que já tive conhecimento. Parece simples, comum, talvez se passaria por uma informação óbvia. Mas leia novamente:

Existe uma lei. A qualidade do que você compreende, depende da qualidade da pessoa falando.

A qualidade, ou a forma como você compreende uma informação, depende da qualidade da pessoa que fala. Ou seja, quando alguém fala somente a partir do seu próprio intelecto, é dessa forma que você (o ouvinte) apreenderá a informação comunicada. Quando alguém fala a partir do coração, do fundo do seu Ser, da Alma, é dessa forma igualmente que você apreenderá a informação. É aqui que diferenciamos o inteligente do sábio. Quando alguém inteligente fala, a nossa mente escuta. Quando um sábio fala, a nossa alma, aquela inteligência superior que habita dentro de nós, vibra em concordância. Isso acontece porque aquela verdade era sua o tempo todo. Mas você havia se esquecido, e agora é novamente lembrado.

O conhecimento intelectual é mutável, está sujeito ao tempo – é fruto do meio em que surge. A sabedoria é perene. Ela não sofre desgaste do tempo porque não diz respeito ao tempo. Está nele mas não pertence a ele.

É por isso que o conhecimento intelectual é tão facilmente esquecível.

É por isso que quando ouvimos uma Verdade (com v maiúsculo por que não se refere a intelectualismos) ela atravessa nossa mente e se fixa em nosso Ser.

Os dois vídeos de Osho que trago nesse post falam disso. Osho nos explica porque é tão difícil compreender um Buda. Por mais que um Buda tente nos ajudar, nos explicar, enquanto permanecermos tentando “interpretar” intelectualmente o que é dito, a Verdade se perde. E quando a Verdade se perde, uma religião nasce…

É como Osho diz no vídeo… quando ouvimos um Buda falar, a nossa mente acaba colorindo o que ele diz com as cores que conhece. E para realmente ouvir o que um Buda diz é preciso esquecer tudo. É preciso ouvir com o coração, não com a mente. Por que a Verdade é música, é beleza; não conceitos ou fórmulas lógicas.

Vamos a ele:

Parte 1:

Um Buda será sempre mal-compreendido? (Parte 1/2) – Osho


Parte 2:

Um Buda sempre será mal-compreendido? (Parte 2/2) – Osho