Arqueologia

13/11/2008

Top 10 Mistérios do Mundo Antigo ou Civilizações Perdidas

Neste novo Top 10 de Mistérios (traduzido e adaptado por mim do site ListVerse), os grandes enigmas do mundo antigo.

Entender o nosso passado é o que historiadores e antropólogos buscam fazer. Olhando para trás nós iremos testemunhar civilizações crescerem e caírem, conforme a humanidade anda por um caminho bem repetitivo de construção e destruição. Mesmo assim, existem algumas antigas culturas que nos parecem incrivelmente alienígenas, lendas e estranhos encontros lançam nada além de sombras sobre alguns destes povos. De alguns é dito que eram bem avançados e pacíficos para então desaparecerem com algum cataclisma, e outros, apesar das histórias e relatos de encontros, parecem nunca ter existido.

(introdução original à lista)

10 – A idade das Pirâmides e da Esfinge

A maioria dos egiptólogos acredita que a Grande Esfinge do platô de Giza tem cerca de 4.500 anos de idade. Mas esse número é só isso – uma crença, uma teoria, não um fato. Como Robert Bauval diz em “The Age of the Sphinx” (A Idade da Esfinge), “não há nenhuma inscrição – nem ao menos uma – seja entalhada em uma parede ou pilar ou escrito nos amontoados de papiros” que associe a Esfinge a esse período de tempo. Então, quando ela foi construída? John Anthony West desafiou a idade aceita do monumento quando notou a erosão vertical em sua base, que somente poderia ter sido causada por uma longa exposição a água em forma de chuvas fortes. No meio do deserto? De onde a água vinha? O que acontece é que esta área do mundo já experienciou tais chuvas – cerca de 10.500 anos atrás! Isso faria com que a Esfinge tivesse o dobro da atual idade aceita. Bauval e Graham Hancock calcularam que a Grande Pirâmide igualmente data de cerca de 10.500 a.C. – antecedendo a Civilização Egípcia. Isso aumenta as perguntas: quem as contruiu e porque?

Eu somente irei ressaltar que o formato geral da esfinge é uma formação natural naquela parte do mundo, devido aos ventos + areia. Os egiptologistas salientaram que os egípcios teriam notado aquele formato de gato, e então só entalhado os detalhes.

9 – As Linhas de Nazca

As famosas linhas de Nazca podem ser encontradas em um deserto há cerca de 321km ao sul de Lima, Peru. Em uma planície medindo aproximadamente 59 km de comprimento e 1.6 km de largura existem linhas e figuras gravadas que tem desconcertado os cientistas desde sua descoberta, nos anos 1930. As linhas correm perfeitamente retas, algumas paralelas umas às outras, muitas se cruzando, fazendo com que pareçam, para quem olha de cima, pistas de pouso de antigos aeroportos. Isto estimulou Erich Von Däniken em seu livro “Eram os deuses astronautas?” a sugerir que elas eram de fato pistas para naves extraterrestres. Mais intrigantes são as figuras gigantes de 70 – alguns animais gravados no solo – um macaco, uma aranha e um beija-flor, além de outros. O que estarrece é que essas linhas e figuras foram feitas em tal escala que só podem ser reconhecidas em uma alta altitude. Então qual o significado delas? Alguns acreditam que possuam algum propósito astronômico, enquanto outros acreditam que serviam para cerimônias religiosas. Uma teoria recente sugere que as linhas levam a fontes de água preciosa. A verdade é que ninguém realmente sabe.

8 – A localização de Atlântida

Existem muitas, muitas, muitas teorias sobre a verdadeira localização de Atlântida. Nós recebemos a lenda de Atlântida de Platão, que escreveu sobre a bela, tecnologicamente avançada ilha-continente, em 370 a.C, mas a descrição que o filósofo fez de sua localização foi limitada e vaga. Muitos, é claro, concluíram que Atlântida nunca existiu. Aqueles que acreditam na sua existência têm procurado por evidências ou ao menos pistas em praticamente todo canto do mundo. As famosas profecias de Edgar Cayce dizem que remanescentes de Atlântida seriam encontrados perto de Bermuda, e em 1969 formações geométricas de pedras foram encontradas próximas a Bimini (também conhecida como “Estrada de Bimini”) o que os crentes dizem confirmar as predições de Cayce. Outros locais propostos para a localização de Atlântida incluem: Antártida, México, ao largo da costa da Inglaterra, possivelmente até ao largo da costa de Cuba (veja mais a frente). A controvérsia e as teorias irão certamente continuar até que alguém descubra uma placa dizendo “Bem-vindo à Atlântida. Coma no Joe’s.”

7 – O “sempre sinistro” Calendário Maia

Existe muito alarido sobre as supostas profecias do Calendário Maia. Mais pessoas as temem, talvez, do que temeram as catástrofes previstas do ano 2000. Toda a preocupação está baseada na descoberta de que o calendário maia de “Conta Longa” (alguns o chamam também de “Conta Larga”) termina em uma data que corresponde ao nosso 21 de Dezembro de 2012. O que isto significa?  O fim do mundo por algum cataclisma global ou guerra? O início de uma nova era, uma nova Era para a humanidade? Profecias do tipo possuem uma longa tradição de não acontecerem. Mas a única maneira de sabermos com certeza é esperar e ver. Mas, de qualquer forma, em 2012 você pode pensar em fazer as suas compras de Natal antes…

(Observação minha: a questão a respeito do calendário maia é um pouquinho mais profunda do que a forma como foi exposta pelo ListVerse. O problema não tem a ver com o suposto “fim” do calendário. Muito pelo contrário, o calendário não termina em 2012. Para saber mais, veja o post que escrevi há um tempo atrás, clicando aqui)

6 – A Múmia de Spirit Cave

Em 1940, uma equipe de marido-e-mulher arqueólogos, Sydney e Georgia Wheeler, descobriram uma múmia em “Spirit Cave”, a 20 km leste de Fallon, Nevada. Ao entrarem em Spirit Cave eles descobriram os restos de duas pessoas envoltas em uma esteira de tule. Uma parte dos restos, enterrada mais fundo do que as outras, foi parcialmente mumificada (a cabeça e o ombro direito). Os Wheelers, com a ajuda de moradores locais recuperaram um total de 67 artefatos da caverna. Esses artefatos foram examinados no Nevada State Museum, onde estimaram que possuíam entre 1.500 e 2.000 anos de idade. 54 anos depois, em 1994, na Universidade da Califórnia, Riverside, o antropólogo R. Erv Taylor examinou dezessete dos artefatos de Spirit Cave utilizando espectrometria de massa. Os resultados indicaram que a múmia tinha aproximadamente 9.400 anos de idade – mais antiga do qualquer outra múmia norte-americana. Estudos posteriores determinaram que a múmia exibe características caucasóides similar aos Ainu (uma etnia japonesa), apesar de que uma associação definitiva ainda não foi estabelecida.

5 – Tesouros egípcios no Grand Canyon

Na edição de 5 de Abril de 1909 do Arizona Gazette havia um artigo entitulado: “Explorations in Grand Canyon: Remarkable finds indicate ancient people migrated from Orient.” (Explorações no Grand Canyon: descobertas incríveis indicam que povos antigos migraram do Oriente) De acordo com o artigo, a expedição foi financiada pelo instituto Smithsonian e descobriu artefatos que iriam, se verificados, revirar a história convencional. Dentro de uma caverna, “talhada na rocha, por mãos humanas”, foram encontrados tabletes com hieróglifos, armas e ferramentas de cobre, estátuas de deidades egípcias e múmias. Apesar de altamente intrigante, a veracidade da história é questionada porque o sítio numa mais foi reencontrado. O Smithsonian nega qualquer conhecimento da descoberta, e várias expedições à procura da caverna voltaram de mãos vazias. Seria o artigo só um boato? “Apesar de não se poder ignorar que toda a história possa ser uma elaborada fraude de um jornal,” escreve o pesquisador/explorador David Hatcher Childress, “o fato de que estava na primeira página, citava o prestigioso Instituto Smithsonian, e ter dado uma história altamente detalhada que continuava por várias páginas, concede um grande valor a sua credibilidade. É difícil acreditar que uma história do tipo tivesse saído do nada.” Os que apóiam a descoberta alegam que as áreas restritas do Canyon são evidência de um encobrimento da verdade.

4 – Mu ou Lemúria

O legendário mundo perdido de Mu, também chamado de Lemúria, é quase tão famoso quanto a Atlântida, e de fato, às vezes ficam próximos de se igualar. De acordo com a tradição de muitas ilhas do Pacífico, Mu era um paraíso tropical tipo “Éden”, localizado em algum lugar do Pacífico e que afundou, junto com todos os seus belos habitantes há milhares de anos atrás (parece familiar…). Como Atlântida, existe um debate se realmente existou, e se sim, onde.

3 – Viagens às Américas

É dito que Cristóvão Colombo “descobriu” a América, mas é claro que nós todos sabemos melhor do que isso, muito antes dele pessoas/povos estiveram aqui, até mesmo se assentaram. Nativo-americanos chegaram aqui muitos séculos antes de Colombo, e há boa evidência que exploradores de outras civilizações ganharam de Colombo nessa também. Artefatos foram descobertos que sugerem que antigas culturas exploraram o continente. Cerâmica e moedas gregas e romanas foram encontradas nos Estados Unidos e México; estátuas de Osíris e Ísis foram encontradas no México, assim como há evidências de egípcios no Grand Canyon (veja acima). Antigos artefatos hebreus e asiáticos também foram encontrados. Estórias de viajantes de terras distantes em mitos e folclore nativos também sugerem a probabilidade.

A verdade é que nós sabemos muito pouco à respeito das antigas culturas viajantes.

2 – A Cidade Submersa ao largo da costa de Cuba

Em maio de 2001, uma empolgante descoberta foi feita pela Advanced Digital Communications (ADC) que estava mapeando o fundo do oceano nas águas territoriais de Cuba. As leituras do Sonar revelaram algo inexperado e um tanto incrível há 60 metros abaixo: pedras dispostas em um padrão geométrico que pareciam muito com as ruínas de uma cidade. “A natureza não poderia criar algo tão simétrico. Isto não é natural, mas nós não sabemos o que é”, disse Paul Weinzweig, da ADC. Uma grande cidade submersa? A National Geographic demonstrou um grande interesse no sítio e esteve envolvida em investigações subseqüentes. Em 2003, um minisubmarino mergulhou para explorar as estruturas. Paulina Zelitsky, da ADC, disse que viram uma estrutura que “parecia ter sido um grande centro urbano. Entretanto, seria totalmente irresponsável dizer o que era antes de se ter evidência.”

1 – As ruínas submersas do Japão

Ao largo da costa sul de Okinawa, Japão, de 6 à 30 metros sob a água jaz enigmáticas estruturas que podem ter sido construídas por alguma antiga “civilização perdida”. Os céticos dizem que as formações em fileiras tem origem provalmente natural (o que parece loucura ao se olhar as fotos). “Então, no final do verão do ano seguinte,” escreve Frank Joseph em um artigo para o Atlantis Rising, “outro mergulhador ficou chocado ao ver um grande arco ou portão de enormes pedras belamente encaixadas na maneira da construção pré-histórica encontrada junto as cidades Incas do outro lado do Oceano Pacífico, nos Andes da América do Sul.” Isso parece confirmar que as ruínas foram feitas pelo homem. A arquitetura inclui o que parecem ser ruas pavimentadas e cruzamentos, grandes formações parecidas com altares, escadarias levando à amplas praças e caminhos processionais sobrepujados por pares de altas estruturas que lembram postes. Se é uma cidade submersa, é enorme. Tem sido sugerido que é a cidade perdida de Mu, ou Lemúria (veja acima).

LIVROS RECOMENDADOS:

Sim, os Deuses Eram Astronautas: Novas Interpretações Sobre ...

Sim, os Deuses Eram Astronautas: Novas Interpretações Sobre …

As Digitais dos Deuses

As Digitais dos Deuses



Sobre a Autora

Karina
Olá, Sou a editora do site InconscienteColetivo.net.






 
 

 
Uma nova pesquisa sugere que a gênese da mumificação no antigo Egito pode ter acontecido 1.500 anos antes do que se havia previamente pensado

(Múmias apareceram no Egito muito antes da era dos faraós)

O estudo, em inglês, pode ser acessado clicando aqui. +++ Descoberta foi anunciada em um estudo publicado na revista científica PLOS ONE A mais remota evidência da mumificação no Egito sugere que a prática de embalar corp...
por Karina
1

 
 
Os arqueólogos Robin Coningham (à esquerda) e Kosh Prasada Acharya em escavações no templo de Maya Devi

(Estudo sugere que Buda viveu dois séculos antes do que se pensava)

Evidências de uma estrutura de madeira desconhecida, escavada no local onde Buda nasceu, sugerem que o sábio pode ter vivido no século VI a.C., dois séculos antes do que se pensava, afirmaram arqueólogos nesta segunda-feir...
por Karina
3

 
 
Busi morreu pouco depois da visita da BBC à sua tribo, no interior da Amazônia boliviana

(Morte de índia extingue idioma e cultura de tribo amazônica)

Mais uma página da História humana que é virada… +++ Anciã Bose Yacu era a última a falar língua e manter tradições dos pacahuaras, originalmente da Amazônia peruana Em uma voz firme e profunda, Bose Yacu entoa o...
por Karina
2

 




69 Comentários


 
 

  1. BIBANCO, ILDEBRANDO

    PARABENS PELO SEU ARTIGO. SE ALGUM DIA DESEJAR FAZER ALGO A RESPEITO DE VISÕES DE OVNIS EU POSSO DAR MEU DEPOIMENTO. eU E MINHA ESPOSA VIMOS UMA NAVE MUITO GRANDE NA REGIÃO DE PRESIDENTE PRUDENTE-SP.

    [Responda esse comentário]


  2. Márcio

    Bom, pra enriquecer mais ainda de detalhes o artigo, faltou abordar sobre o mistério que há por trás da esfinge, em relação ao conteúdo interno dela. Descobriu-se a existência de uma cápsula dentro de um dos dedos dela, onde supostamente estaria a chave do enigma que a cerca todo esse mistério sobre Atlântida.
    O governo do Egito não permitiu a exploração do interior da esfinge por, questões burocráticas ou, místicas, crenças…
    Essas capsulas são salas. O termo “capsulas” é referente ao tamanho do compartimento relacionado ao dedo da esfinge.

    [Responda esse comentário]


  3. elton

    estou lendo um livro muito bom “história desconhecida dos homens” robert charroux , leiam!

    [Responda esse comentário]


  4. CAIO

    UM GRADE MISTERIO SERA REVELADO NO FINAL DESTE ANO

    [Responda esse comentário]

    Monica respondeu:

    @CAIO, Que tipo de mistério?Ou melhor qual?

    [Responda esse comentário]


  5. zé ricardo

    Impressionante como a nossa civilizaçao nao da a minima importancia para o passado tao misterioso de nossa raça.O entendimento desse passado poderia mudar muita coisa em nosso modo de ver a vida e ,quem sabe ,nos tirar do caminho da auto-destruiçao em que nos encontramos.

    [Responda esse comentário]

    BELCHIOR respondeu:

    @zé ricardo, puxa cara, seus comentários foram suscintos, porém resumiu tudo o que é coerente e sábio, além de uma profundidade espetacular. Não conhecemos nada do nosso passado e os ditos “estudiosos” trabalham unicamente com suposições, ou seja, na base do chutômetro. Até os dias de hoje caminhamos às cegas, sem saber nada das nossas origens, nos apegando a cada pequeno indício que aparece em alguma parte do globo. É como você diz: olhemos para a frente e talvez nos encontremos…

    [Responda esse comentário]


  6. Mannoel

    Querida faltou o principal, o homen nao foi a LUA!!!!!!!!!

    [Responda esse comentário]


  7. amiga amei otimo seu saite adorooooo posta mais ok 8):)B>

    [Responda esse comentário]


  8. karina posta mais coisas antigas ok ;).

    [Responda esse comentário]


  9. gostei karina seu blog e muinto legal sei tb de muintas coisas e desejo me aprofundar mais principalmente sobre os misteios de atlantida.Posta mais coisas sobre atlantiida.

    [Responda esse comentário]


 
 



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>