Acupuntura é ótimo, não é “mero” efeito placebo (nunca entendi o tom pejorativo que normalmente é utilizado para se referir ao placebo… afinal, se existe um modo do corpo se curar apenas pela crença na cura, isso é um milhão de vezes melhor do que se curar por cirurgias ou bombas químicas – os tais “remédios”! ai ai… vá entender né!) mas esse artigo, apesar de confirmar o efeito físico da acupuntura,  me incomodou um pouco… reparem que é cogitada a  possibilidade de se usar medicamentos (existentes ou a serem criados) para “potencializar” os efeitos da acupuntura… Credo, o stablishment farmacêutico-científico realmente não dá ponto sem nó!

(…)

E pensar que há poucos anos atrás a acupuntura era considerada “charlatanismo”…

+++

Apesar de milhões de pessoas utilizarem a acupuntura para amenizar a dor, a ciência nunca soube claramente como o tratamento milenar funcionava no corpo. Contudo, um estudo em camundongos indica que a inserção de uma agulha de acupuntura ativa supressores da dor locais. Além disso, os pesquisadores afirmam que o tratamento potencializa esses supressores. A pesquisa pode levar à criação ou ao uso de medicamentos já existentes que aumentem a efetividade da acupuntura. As informações são da Science.

De acordo com a reportagem, os pesquisadores acreditavam, até o estudo, em duas hipóteses para como o tratamento alivia a dor: de que as agulhas estimulavam os nervos – o que levava o cérebro a liberar endorfina no corpo – e de que o tratamento funcionava como um placebo – no qual o próprio paciente inconscientemente, ao acreditar no efeito das agulhas, liberava endorfina. Contudo, a pesquisa encontrou uma nova explicação.

Acupuntura

Segundo Maiken Nedergaard, neurocientista da Universidade do Centro Médico Rochester, no Estado americano de Nova York, os pesquisadores desconfiavam das duas hipóteses pelo fato de as agulhas não causarem dor, mesmo em locais machucados, quando penetravam a pele. Nedergaard suspeitava que quando o acupunturista inseria e rodava as agulhas, ele causava a liberação de adenosina – uma substância que alivia a dor localmente.

Durante o estudo, o neurocientista e sua equipe primeiro anestesiaram levemente alguns camundongos e inseriram uma agulha em um ponto de acupuntura, na perna do animal. Após retirar e analisar a ponta do objeto, eles notaram que o camundongo havia produzido adenosina 24 vezes mais que o normal.

Acupuntura

Depois, eles notaram que a ação das agulhas aliviava dois tipos de dor: a crônica no pé (como inflamação causada por artrite) e por dano no nervo (geralmente ligada a danos na medula, diabetes e outros). Em um animal com um desses problemas, os pesquisadores notaram que ele costumava recolher rapidamente a perna quando tocada com o dedo e quando aquecida com um pedaço de metal. Com o uso da agulha de acupuntura, e também, separadamente, com a aplicação de adenosina na área, os pesquisadores notaram (por suas reações) que o animal sentia menos dor. Além disso, eles notaram que os dois tratamentos diminuíam a atividade em uma área do cérebro responsável pela dor.

Os cientistas ainda tentaram potencializar a adenosina em conjunto com o uso das agulhas. Para isso eles utilizaram uma droga e notaram que ela triplicava a duração do efeito contra a dor (de uma hora para três horas). Contudo, o medicamento utilizado é o deoxycoformycin, um anticancerígeno muito tóxico para o uso clínico. Apesar disso, Nedergaard afirma que a descoberta é uma “prova de que você pode aumentar o efeito da acupuntura”.

Fonte: Terra