Registro aqui no Inconsciente, a notícia da morte do guru Sathya Sai Baba.

Nunca postei nada sobre ele no blog, apesar de alguns leitores já terem me escrito pedindo, por que dos gurus que conheço ou já ouvi falar, ele nunca me cativou uma atenção maior. Nada contra ele ou seus seguidores, deixo frisado!  Apenas não consigo simpatizar por gurus “milagreiros”, é uma coisa minha, prefiro os que nos ganham somente na base do exemplo e da palavra. Sou mais dos “milagres” pessoais, auto-provocados, resultados de evolução consciente, mudança de paradigma pessoal, autoconhecimento, do que os realizados “em palco” ou de multidões.

Mas se ele conseguiu provocar o que citei acima em alguém, então já valeu a passagem dele nessa Existência…

+++

Considerado por fiéis a encarnação de Deus, Baba havia sido internado no final de março com complicações respiratórias e renais

O guru indiano Sathya Sai Baba, um dos mais famosos e influentes líderes religiosos do país, morreu neste domingo, aos 84 anos, devido a uma parada cardiorrespiratória. Considerado por seus fiéis a verdadeira encarnação de Deus, Baba havia sido internado no final de março em um hospital de Puttaparthi, no sul da Índia, com complicações respiratórias e renais.

Os ensinamentos de Baba, que traziam um misto de crenças hindus e islâmicas, arrebanharam milhões de seguidores em todo o mundo, incluindo importantes líderes políticos, magnatas, artistas e esportistas.

Fiéis de Sathya Sai Baba se aglomeram em frente ao hospital para prestar homenagem

Fiéis de Sathya Sai Baba se aglomeram em frente ao hospital para prestar homenagem

O guru era conhecido por sua fala macia, por seus robes de um forte tom amarelo-alaranjado e por seu corte de cabelo em um estilo semelhante ao “afro”. Baba também tinha a habilidade de fazer surgir do nada objetos como relógios e anéis, algo que muitos céticos consideravam simplesmente truques baratos.

Reencarnação

Baba nasceu em Puttaparthi em 1926, com o nome de Sathyanarayana Raju. Aos 13 anos, ele disse ser a reencarnação de um líder religioso do século 19, venerado tanto por hindus quanto por muçulmanos, com o mesmo nome que viria a adotar mais tarde.

Ao longo dos anos, os fiéis doaram grandes quantidades de dinheiro à entidade mantida pelo guru. Com isto, a sua cidade natal ganhou uma universidade, um hospital, hotéis e um aeroporto privado, além de um serviço de alimentação para a população mais pobre.

Ao mesmo tempo em que ganhava fama por seu trabalho espiritual e de caridade, Baba também se envolveu em polêmica. Ele sempre recusou pedidos de cientistas, racionalistas e mágicos para testar os seus “milagres” em ambientes controlados.

Além disto, em um documentário produzido pela BBC em 2004, ex-seguidores acusaram o guru de pedofilia e de abuso sexual. Ele nunca foi investigado ou condenado por estas alegações.

“Perda irreparável”

O primeiro-ministro indiano, Manmohan Singh, disse que a morte de Baba era uma “perda irreparável”.

“Ele era um líder espiritual que inspirou milhões de pessoas a levar uma vida moral e significativa, mesmo quando elas seguiam a religião de sua própria escolha”, afirmou o premiê.

O hospital onde Baba morreu afirmou que o corpo do guru poderá ser visto pelo público entre segunda e terça-feira, antes do funeral, e pediu que os seguidores não corram até o local, para evitar tumultos.

Fonte: Último Segundo/BBC Brasil