Mais um país liberando arquivos sobre OVNIs!

Sobre o polêmico avistamento de Kaikoura, em 1978 e mencionado na notícia, há um vídeo com algumas imagens do (possível) OVNI:


Dois membros da  equipe que fez a filmagem das luzes de Kaikoura a bordo de um avião, o Capitão Startup e o repórter Quentin Fogarty, disseram  numa entrevista recente (retirado do site Above Top Secret – traduzido rapidamente por mim):

“Temos todos os tipos de pessoas nos telefonando e dizendo que somos idiotas”, diz o Sr.Startup. “Nós estávamos enganando o público, estávamos publicando uma farsa, isso era tudo uma grande farsa para o Natal,” diz o Sr. Startup.

“Tornei-me um objeto de crítica e quase ridículo, porque estávamos sendo escrachados pelas autoridades, e os céticos saíram da toca e escolheram a dedo as coisas que lhes convinham melhor e rejeitaram todas as provas, e diziam que ‘nós vimos isso, nós vimos aquilo’ “, diz Fogarty.

Algumas das explicações para o que eles tinham visto e filmado foram: Vênus, as luzes de barcos  e as luzes de Wellington e Christchurch.

“As pessoas podem pensar sobre o assunto, mas elas não estavam no avião”, diz o Sr. Startup.

Nenhuma das partes envolvidas estão satisfeitas com qualquer uma das explicações dadas por cientistas e autoridades governamentais.

“Nenhum deles (céticos/governantes), do meu conhecimento e satisfação, coordenou a observação visual com a observação de radar”, diz ele. “Eles disseram  que a observação visual foi de barcos, que era Vênus, que era Júpiter, que eram as luzes do porto. Dê o nome que quiser, eles podem vir com todos os tipos de razões para o que era.”

Mas eles não explicaram por que eu posso ver Júpiter, Vênus e as luzes do porto fazendo 140 nós no meu radar“, diz o Sr.Startup.

+++

As Forças Armadas da Nova Zelândia divulgaram nesta quarta-feira milhares de relatórios até então classificados como confidenciais que detalham casos envolvendo avistamentos de Objetos Voadores Não-identificados (OVNIs) e encontros alienígenas.

Os relatórios, que datam de 1954 a 2009, foram liberados pela lei de liberdade de imprensa depois que a Força de Defesa neozelandesa removeu nomes e outros elementos de identificação.

Em cerca de 2 mil páginas de documentos, civis, militares e pilotos relatam encontros imediatos, geralmente envolvendo luzes que se movem pelo céu. Alguns dos relatos incluem desenhos de discos voadores, descrições de alienígenas usando “máscaras de faraó” e suposto material de escrita extraterrestre.

Antes de sua liberação, o líder do esquadrão da Força Aérea Kavae Tamariki informou que a Força de Defesa não tem recursos para investigar os avistamentos de OVNIs e que não poderia comentar o conteúdo dos arquivos. “Apenas fizemos uma coletânia das informações. Não investigamos ou fazemos relatórios, não confirmamos nada neles”, declarou ao jornal Dominion Post.

Um dos relatos diz respeito ao avistamento de estranhas luzes na cidade de Kaikoura, litoral de South Island, em 1978, que foram registradas em vídeo por uma equipe de TV local a bordo de um avião. O incidente ganhou as manchetes internacionais na ocasião, mas a Força Aérea explicou que se tratou apenas ou de um fenômeno natural no qual as luzes dos navios se refletiram nas nuvens ou então foi uma visão incomum do planeta Vênus.

Luzes de Kaikoura - 1978
Luzes de Kaikoura – 1978

Os documentos originais nos quais esses relatórios se basearam permanecerão guardados no Arquivo Nacional até 2080.

Fonte: Terra/AFP