Rastro deixado pelo meteorito é visto no céu de Chelyabinsk, na Rússia

Resolvi publicar e arquivar esta notícia na categoria “Mistérios” aqui do InconscienteColetivo, não porque eu necessariamente duvide da “versão oficial” de que um meteorito caiu nos Montes Urais, na Rússia. Tal evento está bem longe de ser impossível, e de fato, segundo dizem os cientistas, acontece todos os dias (cerca de 100 toneladas por dia!), sem que percebamos. Só acho muito interessante o fato de tal evento estar sendo comparado ao de Tunguska, também ocorrido na Rússia, em 1908. Não há nenhuma evidência (até o momento) que prove ou demonstre claramente que o incidente de Tunguska tenha qualquer relação com a queda de um meteorito. Só se sabe que foi um “corpo celestial”. Nas pesquisas mais recentes, foi levantada  a hipótese de que um lago naquela região possa ser a “cratera” necessária no caso do impacto de um meteoro ou meteorito. Mas não é uma hipótese aceita por todos.

Recentemente, a teoria mais aceita é a de que o incidente em Tunguska foi causado por um cometa, o que explicaria a falta de uma cratera. Mas também não foi encontrado evidências físicas conclusivas para esta hipótese, tanto que a disputa por meteoro/asteróide x cometa, continua entre os pesquisadores. Quem quiser saber qual a diferença entre cometa, asteróide, meteoro, meteorito, clique aqui.

O incidente em Tunguska é especialmente complexo, não pela antiguidade do evento (mais de 100 anos), mas pela localização geográfica. O local onde a mega explosão ocorreu, é inóspito e de difícil acesso até hoje. Para se ter uma ideia, a primeira expedição a oficialmente chegar ao local do incidente ocorreu apenas 19 anos depois. Sim, eu frisei a palavra “oficialmente”. Quem quiser ler mais sobre Tunguska, escrevi sobre este mistério há uns anos:

Tunguska, um mistério ainda sem solução? 

A hipótese preferida pelos leitores na época foi a da Torre de Wardenclyffe, de Nikola Tesla. Para mim, o caso continua sendo o de um OVNI – objeto voador não identificado… até que este seja de fato conclusivamente identificado!

Uma bola de fogo gigante no céu foi a primeira indicação de que um corpo celestial desconhecido havia explodido sobre a Sibéria. Nesta concepção artística, Semen Semenov, que testemunhou a explosão de um posto comercial distante, começou a sentir o calor. Fonte: Scientific American/2008

Uma bola de fogo gigante no céu foi a primeira indicação de que um corpo celestial desconhecido havia explodido sobre a Sibéria. Nesta concepção artística, Semen Semenov, que testemunhou a explosão de um posto comercial distante, começou a sentir o calor. Fonte: Scientific American/2008

Voltando ao objeto que caiu em Chelyabinsk nos últimos dias, chegou também a ser lançado alguns boatos (digo boato porque não são de fontes conhecidas ou “confiáveis” – talvez ainda) de que o objeto em questão estava “acompanhado” por caças-russos. É uma informação não-oficial e não-comprovada. Mas convenhamos que foi interessantíssimo, para não dizer praticamente sincronístico, ter sido noticiado a passagem “raspada” do Asteróide 2012 DA14 pelo nosso planeta, e então vermos um meteoro (ou seja lá o que for) caindo em uma área populosa, novamente, na Rússia… Aguardamos então os próximos capítulos dessa estória!

Os grifos são meus:

 +++

Maior parte dos ferimentos foi causada por estilhaços de vidro que quebraram com a passagem do meteorito que lançou bolas de fogo em Chelyabinsk, nos Montes Urais

Um meteorito atravessou o céu sobre os Montes Urais na Rússia na manhã desta sexta-feira, provocando explosões e deixando quase mil feridos, a maioria com machucados causados por estilhaços de vidros que quebraram.

“Houve pânico. As pessoas não faziam ideia do que estava acontecendo. Todo mundo começou a ir um na casa do outro para checar se estava tudo bem”, disse Sergey Hametov, residente de Chelyabinsk, cerca de 1,5 mil km a leste de Moscou, a maior cidade afetada da região. “Vimos uma grande bola de luz quando saímos para ver o que era e ouvimos um som forte de trovão.”

Rastro deixado pelo meteorito é visto no céu de Chelyabinsk, na Rússia

Rastro deixado pelo meteorito é visto no céu de Chelyabinsk, na Rússia

Um segundo residente de Chelyabinsk, Valya Kazakov, disse que alguumas idosas no seu bairro choraram pensando que se tratava do fim do mundo. Outros viram uma luz forte e sentiram uma onda de tremor.

Alguns meteoritos – fragmentos de um meteoro – caíram em um reservatório fora da cidade de Cherbakul, informou o gabinete do governo regional, de acordo com a agência ITAR-Tass.

Meteoros geralmente causam estrondos sonoros quando entram na atmosfera, porque percorrem o espaço muito mais rápido do que a própria velocidade do som. Ferimentos provocados na escala de hoje são extremamente raros.

O número de feridos é conflitante. A chefe do departamento de Saúde de Chelyabinsk Marina Moskvicheva disse à agência Associated Pess que 985 pessoas em sua cidade procuraram assistência médica e 43 estavam hospitalizadas.

Entretanto, uma fonte ouvida pela rede britânica BBC afirma que o número de pessoas que procuraram assistência para os ferimentos foi de 950 e destas, 46 permaneciam no hospital.

O porta-voz do Ministério do Interior Vadim Kolesnikov disse que cerca de 600 m² de um telhado de uma fábrica de zinco caiu. Não se sabe com clareza se a queda foi causada pelo meteorito.

Há declarações conflitantes sobre o que de fato aconteceu. Um porta-voz do Ministério de Emergências Irina Rossius afirmou que se tratou de uma chuva de meteoros, mas outra porta-voz do governo Elena Smirnikh confirmou que um único meteoro foi fragmentado.

Meteorito passa próximo à estrada na região de Kostanai

Meteorito passa próximo à estrada na região de Kostanai

Um vídeo amador mostrava um objeto caindo do céu às 9h20 do horário local (3h20 em Brasília), deixando um longo rastro branco em seu caminho que podia ser visto a até 200 km de distância, em Yekaterinburgo. Alarmes de carros soaram, janelas quebraram e telefones celulares tiveram o funcionamento afetado pelo incidente.

“Eu estava dirigindo para o trabalho, estava bem escuro, mas de repente veio um clarão como se fosse dia”, disse Viktor Prokofiev, de 36 anos, morador de Yekaterinburgo, nos Montes Urais. “Me senti como se estivesse ficado cego pela luz“, acrescentou.

Não foram registradas mortes em consequência do meteorito, mas o presidente Vladimir Putin, que nesta sexta-feira recebe ministros da Fazenda dos países do G20, foi notificado pelo ocorrido.

O meteorito atingiu a Rússia menos de um dia antes de o 2012 DA14 fazer a passagem de um asteróide mais próxima da Terra já registrada – cerca de 28 mil km. Mas a Agência Espacial Europeia publicou em seu Twitter que os dois eventos não tinham conexão. Acredita-se que um meteorito tenha devastado uma área de mais de 2 mil km² na Sibéria em 1908.

Pequenos pedaços de detritos espaciais – especialmente partes de cometas e asteroides – que estão em rota de colisão com a Terra são chamados de meteoróides. Quando os meteoróides entram na atmosfera terrestre, são chamados de meteoros. A maioria dos meteoros são destruídos na atmosfera, mas se eles sobrevivem ao calor e à fricção, são chamados de meteoritos.

Os dramáticos eventos provocaram reações de políticos na Rússia. O premiê Dimitri Medvedev, durante um fórum de economia na cidade de Krasnoyarsk, na Sibéria, disse que o meteorito poderia ser um símbolo para o fórum, mostrando que “não somente a economia é vulnerável, mas todo o planeta”.

Vladimir Zhirinovsky, o líder nacionalista, disse que “não são meteoros caindo, são testes de uma nova arma americana”.

Veja o vídeo:

Fontes: AP , Reuters/Último Segundo