Dezenas de objetos procedentes da coleção pessoal do famoso faraó menino Tutancâmon, que governou o Egito entre 1361 e 1352 a.C., estão expostos no Museu Metropolitano de Nova York, nos Estados Unidos. A peça que chama mais atenção entre as quase 60 disponíveis para visitação na mostra “O funeral de Tutancâmon” é um dos colares de flores utilizado na mumificação e enterro do imperador egípcio.

Segundo a diretora do Departamento de Egiptologia da instituição, Dorothea Arnold, a exposição mostra uma “visão diferente do tesouro do jovem faraó”.

Um estudo recente divulgado nos EUA indicou que o lendário Tutancâmon morreu de malária combinada com uma infecção óssea. Tutancâmon morreu tão jovem – aos 19 anos, em 1324 a.C., com apenas nove anos de trono, sem deixar herdeiros – que levou especialistas a especularem sobre a hipótese de doenças hereditárias na família real da XVIII dinastia.

Um dos colares de flores utilizados na mumificação e enterro do faraó menino estão expostos em Nova York

Um dos colares de flores utilizados na mumificação e enterro do faraó menino estão expostos em Nova York

Fonte: AFP/EFE/Terra