Em um outro post já havia falado do “Pilar Físico”, como proposto por James Ray em seu livro “Harmonic Wealth“. Hoje, para complementar o que ele diz naquele vídeo, traduzi um dos capítulos que trata não só do cuidar, mas do saber valorizar o corpo que se tem. Ninguém é só defeitos, e normalmente as pessoas tendem a se comparar com padrões de beleza rigorosos demais (e acabam esquecendo, e até não vendo aquilo que têm de bom). E isso é uma crença e uma atitude extremamente limitadora. Não dá para nivelar 6 bilhões de seres humanos a um padrão de beleza. O objetivo ideal deve ser sempre a saúde. Beleza é mera conseqüência.

+++

Eu estudei várias tradições espirituais, e cada uma delas lhe dirá que você deve dominar o corpo. Como você pode esperar algum dia canalizar e direcionar energias universais se você não consegue nem controlar seus apetites? Não consegue e não fará. Como você pode pensar que pode direcionar e utilizar energias universais se você não controla seu impulso sexual? Você não pode e não fará.  É tudo parte do corpo. Domínio físico é o maior fundamento de uma vida integrada e harmônica, e se você não consegue controlar o básico você nunca irá subir para os graus avançados.

Ah claro, você pode negligenciar isso por um tempo e ter um ótimo relacionamento amoroso, fazer um monte de dinheiro, ou ter uma experiência mística de pico. Entretanto, você e eu sabemos que negligenciar o pilar físico no final das contas irá voltar-se contra você. Você é um ser espiritual tendo uma experiência física, claro; mas se você é uma daquelas pessoas que quer comer pudim o dia todo, faltar à academia, e somente meditar enquanto foge de todo o Pilar Físico, argumentando que tudo é temporário e que você vai perder esse corpo de qualquer jeito – uau! Você precisa deste pilar!

Várias tradições religiosas chamam a forma humana de corpo humano precioso ou o templo. Eu duvido que você quer viajar pelos mais bonitos templos do mundo com um cheeseburger gorduroso numa mão e um milkshake na outra. No entanto, o que você tem colocado no seu templo? Você o trata de modo que ele o carregue de maneira fácil e elegante por uma longa e gratificante vida? Ou você o entope com lixo para satisfazer os seus desejos de curto-prazo? Para que você se trate como o artefato inestimável que é, você precisa se ver como um.

Então eu te pergunto, você sabe o quão valioso você é?

Você foi condicionado a acreditar que é preguiçoso ou não atraente ou, como um cliente disse, “um desperdício de espaço”? Quão infeliz, mas como eu disse anteriormente, isto é o passado e você pode mudar isso agora. Talvez você esteja no outro extremo: você pensa que é ótimo, orgulhoso como pode de como é, e mesmo assim você não trata o seu corpo com o respeito que ele merece.

Por favor entenda que eu não estou falando da beleza física que Hollywood nos condicionou a venerar. Nós não podemos todos ter o abdôme de Matthew McConaughey ou ser bem formados como a Gisele Bündchen. Entretanto, você pode ser saudável, forte e em boa forma com o que o Criador deu a você para trabalhar.

Eu quero que você abstraia-se por um minuto e pense sobre um cavalo de corrida chamado Northern Dancer, quem em 1964 venceu a corrida de Kentucky. Este magnífico animal depois se tornou o mais bem-sucedido garanhão puro-sangue dos últimos trezentos anos, e um de seus potros, chamado depois de Snaafi Dancer, foi comprado em leilão por U$ 10.200,000. Supondo que você estava competindo no leilão com o Sheik Maktoum de Dubai naquele dia pelo potro e você, ao invés dele, o tivesse levado para casa, o que você daria para o seu puro-sangue como primeira refeição? Seriam gramíneas frescas e caras, vitaminas, e água fresca e clara? Ou talvez um pacotão de batata-frita, uma barra de chocolate, e um refrigerante extra grande?

A pergunta é ridícula, certo? Ninguém em sã consciência iria alimentar um animal, muito menos um campeão, com uma dieta junk food (“comida lixo”). Mas vamos supor por um segundo que você fez isso. Seria um espanto se o cavalo não fizesse mais os mesmos tempos na pista? Claro que não.

Mas você não vale U$10 milhões, certo? Na verdade, você é ainda mais valioso. De fato, você vale mais do que o seu peso em ouro. Em 2003, a revista Wired reuniu preços estimados de hospitais e companhias de seguro sobre o valor do corpo humano. No fim das contas você vale aproximadamente U$45 milhões! A sua medula óssea, por exemplo, está avaliada em cerca de U$23 milhões, e o seu DNA perto de U$9.7 milhões. Os seu pulmões? Eles valem U$116,400 cada um, com os seus rins chegando ao imenso valor de U$91,400. Levando em conta que você nunca venderá seus órgãos por dinheiro (nem isto é legal), não é fortalecedor saber que você literalmente vale uma fortuna? Você já é um multi-milionário – literalmente! Como você está administrando a sua fortuna? A maneira como você está valorizando ou desvalorizando a si-mesmo está enviando mensagens poderosas ao seu inconsciente (assim como ao seu Eu-Superior e ao universo em geral) de quanto você aprecia os presentes que tem ganhado.

Lembre-se, coisas que são apreciadas aumentam o seu valor. Quando você é grato pelo que tem, a sua vibração de oferta está afirmando, “Obrigado por isso. Mande-me mais. O seu desejo é uma ordem.”

O que eu quero que você admita é que você é um tesouro absoluto, uma entidade de alto valor. (Por exemplo, 68kg de ouro somente vale perto de U$1.600,000.) Você carrega pelo menos U$45 milhões por aí com você todo o tempo. Pense sobre isso – já não é tempo de ver o seu próprio valor com uma perspectiva mais lúcida?