Arqueólogos turcos encontraram os cadáveres de duas pessoas que, se acredita, caíram na primeira linha defensiva da mítica cidade de Tróia, destruída há mais de 3 mil anos, no oeste da Turquia.

Os restos, achados a 350 metros de profundidade embaixo do castelo de Tróia, são de um homem e de uma mulher. O professor Rustem Aslan, vice-chefe da equipe de arqueólogos, explicou à imprensa que é a primeira vez que se encontraram cadáveres que parecem proceder da guerra de Tróia (entre os séculos XIII e XI a.C).

Casal encontrado pelos arqueólogos, que se acredita terem morrido na guerra mítica de Tróia

“Em poucas semanas saberemos a época exata de sua morte e suas idades aproximadas. Estas pessoas foram enterradas na parte inferior da linha defensiva”, disse o especialista.

“Se nossas estimativas são corretas, podemos afirmar que encontramos as primeiras vítimas da guerra de Tróia”, acrescentou Aslan. A guerra de Tróia é um dos eixos centrais da “Ilíada” e da “Odisséia”, do poeta grego Homero.

Fonte: Terra/EFE