Esse pode ser um registro escrito da língua que os espanhóis da era colonial chamavam de pescadora

Pesquisadores dizem que rabiscos encontrados no verso de uma carta descoberta num sítio arqueológico do século XVII revela uma língua indígena até agora desconhecida.

Uma equipe internacional de arqueólogos encontrou a carta sob uma pilha de tijolos de adobe numa igreja que desmoronou perto de Trujillo, 560 km ao norte da capital, Lima. O complexo havia sido habitado por dominicanos durante 200 anos.

“Nossas investigações determinaram que esse pedaço de papel registra um sistema numérico numa língua que se perdeu há centenas de anos”, disse o arqueólogo Jeffrey Quilter, do Museu Peabody de arqueologia e Etnologia de Harvard.

Números anotados com nomes em língua perdida

Números anotados com nomes em língua perdida

‘Descobrimos uma língua que ninguém vê desde o século XVI ou XVII”, disse ele, acrescentando que o idioma parece ter sido influenciado pelo quíchua, a antiga língua ainda falada por milhões de andinos.

Ele disse que esse pode ser um registro escrito da língua que os espanhóis da era colonial chamavam de pescadora, porque era usada pelos pescadores do norte do Peru. Até hoje, nenhum registro da língua pescadora era conhecido.

Fonte: Reuters/Estadão