Pesquisadores do Museu do Brooklyn, em Nova York, descobriram que a múmia com cerca de 2 mil anos que se acreditava ser de uma mulher, batizada de “Lady Hor”, na verdade deve ser chamada de “Sir Hor”, informaram jornais locais nesta terça-feira. A identificação foi feita depois que os egiptólogos americanos e especialistas do hospital universitário de Manhasset submeteram a múmia a uma tomografia computadorizada.

Embora o cadáver embalsamado tivesse a figura de uma mulher pintada na cobertura de linho, o corpo apresenta a anatomia de um homem, afirmou o radiologista Jesse Chusid ao site do jornal Newsday. Segundo Chusid, “foram identificados os órgãos pélvicos masculinos”.

Quatro múmias do Museu do Brooklyn, incluindo a do príncipe real de Tebas (foto), foram escaneadas em computador

Quatro múmias do Museu do Brooklyn, incluindo a do príncipe real de Tebas (foto), foram escaneadas em computador

“Sir Hor” é uma das quatro múmias exibidas pelo Museu do Brooklyn. As raridades foram todas escaneadas por computador para os especialistas coletarem informações sobre as identidades, causas das mortes e práticas funerárias antigas.

Entre elas, também está a múmia de Pasebakhainipet, príncipe real de Tebas – cidade do Antigo Egito que foi capital durante o Império Novo. O exame também mostrou que o coração de Pasebakhainipet está em ótimo estado de conservação.

Fonte: Terra