Lei da Atração

14/05/2009

A Lei da Atração, o Dinheiro e… Você!


“Quando a sorte sorri para uma pessoa de grande fortuna, ela geralmente escolhe aquela que a fez através de algum serviço útil – não os que herdaram ou conseguiram-na à custa do prejuízo alheio. A sorte, definitivamente, dá as costas a riquezas conseguidas por meios ilícitos, e freqüentemente faz com que se evapore misteriosamente.”

Napoleon Hill

“Apenas aqueles que ousam ter grandes fracassos conseguem alcançar grandes sucessos.”

Robert F. Kennedy

“Qualquer homem, literalmente, vale o que pensa.”

James Allen

“Bom senso é o conjunto de todos os preconceitos que adquirimos em nossos primeiros dezoito anos de vida.”

Albert Einstein

“Se você acha que a instrução é cara, experimente a ignorância.”

Benjamim Franklin

“Pessoas ricas possuem grandes bibliotecas. Pessoas pobres, grande televisões.”

(percepção aguda do óbvio ululante)

O post de hoje é sobre dinheiro. Por que dinheiro não é só importante para pagar contas. O dinheiro financia a sua evolução pessoal e espiritual. Se pensa que não, como que você faz para adquirir conhecimento? Livros, cursos, aulas, palestras? Como você faz para abrir a sua mente, conhecer outros povos e outras culturas? Enfim. Acho que deu para sacar do que estou falando, certo?

Pois bem! Como o dinheiro também é muito importante, na vida (o quanto é você quem decide), resolvi transcrever alguns trechos de um dos melhores livros que já li sobre “saúde financeira” aplicando a lei da atração: “Os Segredos da Mente Milionária“, de T. Harv Eker. Este livro traz uma das melhores explicações que eu já li sobre o funcionamento da lei da atração. Apesar de simples, vejo que muita gente não compreendeu o que é realmente essa lei, e como ela de fato funciona. E essa falta de compreensão tem gerado desânimo e um ceticismo nem um pouco saudável (pra não dizer injusto) em muitas pessoas.

Mas, antes de seguir em frente com os ensinamentos de Harv, gostaria de deixar alguns pontos bem esclarecidos:

1- Quando se fala em “pessoa rica” ou em “enriquecer”, queremos dizer: aquele(a) que enriqueceu por méritos próprios e justos. Não que herdou, ganhou, roubou etc. Esse tipo de pessoa pode até ter conseguido dinheiro fácil. Mas tudo aquilo que vêm fácil, vai embora fácil. Lembre-se disso.

2- O dinheiro é uma força, uma energia neutra. Não pense que se você está se sentindo infeliz sendo pobre, você vai se sentir feliz quando estiver rico ou com mais dinheiro. ISSO NÃO ACONTECE. O dinheiro apenas reforça o padrão, as emoções que você já possui. No início pode ser bom. Mas eventualmente você voltará ao seu estado emocional antigo. Se você está feliz mesmo não tendo todo o dinheiro que gostaria, então quando tiver, o dinheiro apenas irá reforçar esse sentimento ainda mais. É a mais pura ilusão pensar que dinheiro traz felicidade. O dinheiro pode apenas financiar aquilo que te faz feliz. Mas uma pessoa vazia, pode ter todo o dinheiro do mundo que continuará vazia. Dinheiro não faz milagres, somente quem pode fazer é a pessoa com o dinheiro. Por isso, torne-se primeiro uma pessoa  melhor, e então o dinheiro será mais uma das alegrias da sua vida. Veja bem: mais uma.

3 – Cuidado com a maneira com que você investe seu dinheiro. Quando você financia coisas negativas, que possuem uma energia inerentemente baixa, você atrai mais situações/pessoas negativas para a sua vida. Alguns exemplos de dinheiro desperdiçado de forma mórbida: compra e tráfico de drogas, pornografia, prostituição, falsificação, pirataria etc. Você sabe quando está gastando seu tempo ou dinheiro em algo que não te engrandece como ser humano. No fundo, todos sabemos. Para entender melhor, veja também o post “As 54 leis do Fracasso“.

Tendo esses pontos bem compreendidos e claros em mente, acho que podemos passar ao Harv! ;-)

+++

Você já ouviu falar de pessoas que “desabrocham” financeiramente? Já notou que alguns indivíduos ganham rios de dinheiro e depois perdem tudo, ou começam aproveitando uma excelente oportunidade e, em seguida, deixam o bolo desandar?  Agora você sabe qual é a verdadeira causa desse problema. Por fora, parece má sorte, uma oscilação na economia, um sócio desonesto, seja lá o que for. Por dentro, porém, a questão é outra. É por esse motivo que, se uma pessoa ganha muito dinheiro sem estar interiormente preparada para isso, o mais provável é que a sua riqueza tenha vida curta e ela acabe sem nada.

A maioria das pessoas simplesmente não tem capacidade interna para conquistar e conservar grandes quantidades de dinheiro e para enfrentar os crescentes desafios que a fortuna e o sucesso trazem. É sobretudo por causa disso que elas não enriquecem.

Um bom exemplo são os que ganham em loterias. As pesquisas mostram continuamente que, seja qual for o tamanho do prêmio, a maior parte desses felizardos acaba voltando ao seu estado financeiro original, isto é, a ter a quantidade de dinheiro com a qual conseguem lidar com mais facilidade.

No caso de quem enriquece com o seu próprio esforço ocorre exatamente o contrário. Repare que, quando um milionário desse tipo perde a fortuna, geralmente ele a refaz em pouco tempo. Nesse aspecto, Donald Trump é um ótimo exemplo. Ele tinha bilhões de dólares e perdeu cada centavo. Dois anos depois, recuperou tudo e até conseguiu mais.

Como se explica esse fenômeno? É simples. Pessoas assim podem perder todo o dinheiro que possuem, mas jamais perdem o ingrediente mais importante do seu sucesso: a mente milionária. No caso de Trump, a sua mente bilionária, é claro.

Isso acontece porque o “termostato” financeiro desse empresário está regulado para produzir bilhões, e não milhões. Algumas pessoas têm um termostato financeiro programado para gerar milhares, e não milhões; outras têm um termostato ajustado para criar algumas centenas. Finalmente, existem aquelas cujo termostato financeiro está condicionado a funcionar abaixo de zero – elas estão congelando e nem sabem por quê.

O motivo é simples. As pessoas, na sua maioria, agem de forma inconsciente. Quase dormem no ponto – trabalham e pensam num plano superficial da vida, baseadas somente no que vêem. Elas vivem estritamente no mundo visível.

As raízes geram os frutos

Imagine uma árvore. Suponha que seja a árvore da sua vida. Nela há frutos. Na vida, os nossos frutos são os nossos resultados. Nós olhamos para eles e não gostamos do que vemos – achamos que os frutos que produzimos são poucos, muito pequenos ou que o seu sabor deixa a desejar.

O que tendemos a fazer, então? A maioria de nós dedica ainda mais atenção aos resultados. Mas de onde eles vêm? São as sementes e as raízes que os geram.

É o que está embaixo da terra que cria o que está em cima dela. É o invisível que produz o visível. E o que significa isso? Isso quer dizer que, se você quer mudar os seus frutos, primeiro tem que trocar as raízes – quando deseja alterar o que está visível, antes deve modificar o que está invisível.

Algumas pessoas dizem que é necessário ver para crer. A pergunta que tenho para elas é: “Por que você paga a conta de luz?” Mesmo não vendo a eletricidade, você com certeza percebe e utiliza o poder que ela tem. Se não estiver muito certo acerca da sua existência, experimente colocar o dedo na tomada. Garanto que a sua dúvida desaparecerá imediatamente.

Aprendi com a experiência que as coisas que não vemos são muito mais poderosas do que as que vemos. Talvez você não concorde com essa afirmação, mas tenho certeza de que você sofrerá se não aplicar esse princípio na sua vida. Por quê? Porque estará indo contra as leis da natureza que dizem que o que está embaixo do solo gera o que está acima dele, o que é invisível cria o que é visível.

Você já ouviu alguém dizendo que a falta de dinheiro é um enorme problema? Na verdade, ela nunca é um problema, e sim um sintoma do que está acontecendo embaixo da terra.

A falta de dinheiro é o efeito. Mas onde está a causa? Ela se resume ao seguinte: a única maneira de mudar o seu mundo “exterior” é modificar o seu mundo “interior”.

Quaisquer que sejam os seus resultados – abundantes ou escassos, bons ou maus, positivos ou negativos -, lembre-se sempre de que o seu mundo exterior é apenas um reflexo do seu mundo interior. Se as coisas não vão bem na sua vida exterior, é porque não estão indo bem na sua vida interior. Simples assim.

Pare de se queixar!

Queixar-se é a pior coisa  que alguém pode fazer por sua saúde e riqueza. A pior mesmo. Por quê?

Acredito piamente na lei universal que diz: “Aquilo que focalizamos se expande.” Quando você se queixa, no que está se concentrando: naquilo que está certo ou no que está errado na sua vida? Obviamente, está dando destaque ao que está errado. E, uma vez que aquilo que é focalizado se expande, você só receberá mais do que está indo mal.

Você já reparou como costuma ser difícil a vida das pessoas que vivem se lamentando? Parece que tudo o que pode dar errado lhes acontece. Elas dizem: “É claro que eu reclamo – olha só como minha vida é uma droga.” Agora que você já sabe mais sobre esse assunto, poderá explicar: “Não: é exatamente porque você se queixa que a sua vida é uma droga.”

Isso remete a outro ponto. Você tem que fazer questão absoluta de não ficar na companhia de pessoas que vivem reclamando. Se tiver uma grande necessidade de estar perto de uma delas, não se esqueça de se proteger com um guarda-chuva de aço, do contrário, a coisa ruim que era destinada a ela vair cair em cima de você também.

Eu procuro ficar tão distante quanto possível de quem reclama porque a energia negativa é contagiosa. Muitas pessoas, porém, adoram se aproximar dos resmungões e ouvi-los. Por quê? Por um motivo simples: elas estão esperando a sua vez de se queixar. “E você acha que isso é horrível? Espere só até ouvir o que aconteceu comigo.”

Vou lhe passar um dever de casa e prometo que ele lhe dará uma grande oportunidade de mudar a sua vida. Eu o desafio a não reclamar de nada durante os próximos sete dias. E não apenas em voz alta, na sua cabeça também. Porém você terá que fazer isso nos próximos sete dias inteirinhos. Por quê? Porque durante os primeiros dias talvez você ainda receba alguma coisa ruim “residual” do passado. Por isso, pode demorar um pouco para ela se dissipar.

Desafiei milhares de pessoas a fazer esse pequeno exercício e fiquei admirado com a quantidade de gente que me disse depois que ele transformou as suas vidas. Garanto que a sua vida também se tornará supreendente quando você parar de se concentrar nas coisas negativas – e de atraí-las, portanto. Se você costuma se lamentar, esqueça por enquanto a ideia de atrair o sucesso – para a maioria das pessoas, atingir o “ponto morto” já é um grande começo.

A atitude de culpar os outros, justificar-se e queixar-se tem o mesmo efeito das pílulas. Só serve para reduzir o estresse. Alivia a tensão do fracasso. Pense nisso. Se a pessoa não estivesse sendo malsucedida de algum modo, ela precisaria responsabilizar alguém, arranjar uma justificativa para isso ou reclamar? A resposta óbvia é: não.

De hoje em diante, quando você se vir culpando os outros, se justificando ou se queixando, pare imediatamente. Lembre-se de que você está criando a sua vida e atraindo para ela, a todo momento, o sucesso ou algo negativo. É fundamental que escolha cuidadosamente os seus pensamentos e as suas palavras.

Agora você está pronto para escutar um dos maiores segredos do mundo: não existem vítimas verdadeiramente ricas. Entendeu bem? Afinal, quem ouviria as suas queixas? “Ai, ai, o meu iate está arranhado.” Diante disso, qualquer um responderia: “E daí?”

Por outro lado, ser vítima tem as suas recompensas. O que as pessoas ganham se colocando nesse papel? A resposta é: atenção. Isso é importante? Com toda a certeza. De uma forma ou de outra, atenção é tudo o que a maioria das pessoas almeja. E o que faz com que elas vivam em busca de atenção é o fato de cometerem um grande erro – o mesmo que quase todos nós já cometemos: confundir atenção com amor.

Acredite: é praticamente impossível ser feliz e bem-sucedido quando se está o tempo todo precisando de atenção. Por causa dessa necessidade, quem está sempre querendo agradar para conseguir aprovação costuma ficar à mercê dos outros. A busca por atenção causa mais um problema: a pessoa tende a fazer coisas idiotas para consegui-la. É essencial dissociar a atenção do amor por vários motivos.

Primeiro, a pessoa fará mais sucesso: segundo, será mais feliz; terceiro, poderá encontrar amor verdadeiro na sua vida. Na maior parte dos casos, aqueles que confundem amor com atenção não se amam no sentido genuinamente espiritual da palavra, e sim, em larga medida, a partir do próprio ego, como na frase “eu amo tudo o que você faz por mim.” Conseqüentemente, o relacionamento diz respeito apenas ao próprio indivíduo, não à outra pessoa, ou, pelo menos, às duas.

Dissociando a atenção do amor, a pessoa se liberta para amar o outro pelo que ele é, e não pelo que ele faz para ela.

Como já disse, uma vítima verdadeiramente rica não existe. Assim, para poder continuar nesse papel, quem está em busca de atenção faz questão absoluta de nunca enriquecer de verdade.

É hora de decidir. Você pode ser uma vítima ou alguém rico, jamais as duas coisas ao mesmo tempo. Preste atenção: toda vez que você culpar alguém, se justificar ou se queixar, está se degolando em termos financeiros.

É hora de resgatar o seu poder e reconhecer que você cria tudo o que existe e o que não existe na sua vida. Observe que você produz a sua riqueza, a sua falta de riqueza e todas as possibilidades que estão no meio do caminho.



Sobre a Autora

Karina
Olá, Sou a editora do site InconscienteColetivo.net.






 
 

 
A felicidade se basta

A felicidade se basta…

  (Jiddu Krishnamurti, citado por Deepak Chopra em “Como Conhecer Deus”.) (A necessidade de falar, a necessidade de convencer… mais um dos truques da mente para nos fazer acreditar que estamos na exp...
por Karina
4

 
 
Agustin

Tudo é Incrível

Fazia um tempo que não traduzia um vídeo aqui para o Inconsciente Coletivo, e eis que me enviaram um que eu não podia deixar de traduzir, tamanha a beleza e o cuidado com que foi produzido e editado, e a profunda mensagem qu...
por Karina
10

 
 
antesdemorrer

(Livro lista arrependimentos de pessoas prestes a morrer)

É interessante como passamos boa parte das nossas vidas priorizando coisas que, de fato, pouco contribuem realmente para a nossa realização existencial. Ninguém vai reclamar, no leito de morte, de não ter adquirido mais im...
por Karina
12

 




10 Comentários


  1. francisco oliveira

    estou vivendo uma nova fase de vida depois de ler um pouco tantas coisas positivas.

    [Responda esse comentário]


  2. francisco oliveira

    gostei,vou tentar colocar em pratica hj mesmo.

    [Responda esse comentário]


  3. francisco oliveira

    gostei,vou tentar por em pratica. nao reclamar, justificar ,nemculpar algqem.

    [Responda esse comentário]


  4. Rachel

    Eu não posso reclamar sequer de uma injustiça? Ou de… por exemplo, uma pizza servida fria? Eu só reclamo de coisas erradas, não da minha vida, isso também atrapalha?

    [Responda esse comentário]


  5. JOTA

    “NINGUEM PLANEJA O FRACASSO, FRACASSAM POR NÃO PLANEJAREM O SUCESSO” ALDO NOVAK

    [Responda esse comentário]


  6. Não vou mais falar sobre dividas,somente pensar em abundancia…..

    [Responda esse comentário]


  7. Não vou reclamar durante 7 dias

    [Responda esse comentário]


  8. Scar

    Gostei muito do texto aí, vô tenta seguir uns passos aí pelo resto da minha vida.

    [Responda esse comentário]


  9. Diego

    Eu adorei esse livro “O segredo da Mente Milionária”! Foi muito bom rever essas idéias!

    [Responda esse comentário]


  10. Larissa

    Não vou reclamar durante 7 dias…. Obrigada!

    [Responda esse comentário]



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>